Corujas e morcegos

domingo, 10 de abril de 2011

Terra


                                                                Seu Juca Sem Fio
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você escolhe a terra 
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu planto a semente
.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você semeia a noite
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu anoiteço o olhar
 .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você olha a chuva 
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu chuvisco nuvens
.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você nubla as luzes
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu ilumino as águas
.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você agua o começo
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu recomeço do fim
.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você finaliza o nada
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu nado nos sonhos
.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..Você sonha escolhas
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . ..eu escolho a terra
.

13 comentários:

  1. nada é feito sozinho
    tampouco os versos
    a vida o amor
    e o vazio

    ...


    forte abraço, camarada.

    ResponderExcluir
  2. O que dizer? Telúrico e lírico. Libélula a dançar vertigens e sonhos. Promessas não feitas, mas desejadas. Poesia: pura e simplesmente. Bela!

    ResponderExcluir
  3. Transformando substantivos em verbos. 'Nublar' para 'nuvens' custaria a me ocorrer (mas como eu sou burro!)

    Poema redondo como a Terra! Ou circular, cíclico como o Uruboro.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso poema! Posso escolher ser a semente?
    Este é o ciclo da vida...
    Beijo
    Graça

    ResponderExcluir
  5. no fim tudo aterriza ou retorna ao seio primordial, mas as espirais boleram

    a
    braço

    ResponderExcluir
  6. talvez os versos sejam uma exceção, Domingos.
    creio que eles estão por aí, vivos desde sempre, à espera apenas de serem notados e anotados.

    há, reconheço, os "versos mortos", que na verdade nem versos de fato são, mas apenas sub-amostras nonatas de versos reais paridas por maus notadores-anotadores.

    abraço

    ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' '

    telulírico, Rita, diria a vertiginada e sonhadora libélula aqui...

    ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' '

    se além de tudo o que já é, Marcantonio, você conseguir ser também burro, invadirei a galope os aposentos papais no Vaticano exigindo, jumento em riste, a sua pronta canonização!

    ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' '

    sinto informar, Graça, mas não podes escolher ser a semente.
    porque esta semente é a do Amor, a da Vida, sendo portanto inerente a toda mulher.
    o que difere, talvez, dentre as sementes femininas, é que algumas germinam com mais Graciosidade...

    beijo

    ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' '

    sim, Assis: boleram e também sambam, frevam, maxixam, maracatuam...

    a
    bra
    ço

    ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' ' '

    obrigado, Lara.

    abraço

    ResponderExcluir
  7. [os diálogos, transcrições do mundo na flor da pele, papel timbrado entre luz e escuridão]

    um imenso abraço,

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  8. Terra à vista é essencial aos olhos. Daí, o resto do corpo se vira: pés nas nuvens, braços em vôo, cabeça no mar, peito em chamas...

    Abraço, véi Wil

    ResponderExcluir
  9. Eta trem bunito!!! Cada verso uma janela, um mundo novo que se abre na alma! Tem coisas que são perfeitas para se fazer de mãos dadas...essas são algumas!
    Beijos, muitos!

    ResponderExcluir
  10. É sempre assim, sempre haverá o mais otimista ou o mais poeta. Tudo questão de ponto de vista. Gosto do que circunda o fato, o nem sempre visto.

    Um abraço,

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  11. Maravilha, gostei muito!!!!
    Ah, e queria te dizer que curti muito mesmo o link que você me enviou... fiquei impressionada com o trabalho. Obrigada!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  12. "Você inventa o amor, eu invento a solidão". (T.Z.)

    ResponderExcluir